InícioEm destaqueDengue: sintomas, tratamento e causa

Dengue: sintomas, tratamento e causa

É muito pouco provável que você não tenha ouvido falar da dengue ou sobre os seus efeitos, não é verdade? Afinal de contas, ela está nos noticiários, em banners espalhados pela rua e distribuídos em cada local da cidade. Mas, nem sempre lá, tem todas as informações que se fazem necessárias.

Pensando nisso, trouxemos algumas coisas que valem a pena ser mencionadas.

O que é a dengue? 

A dengue é uma doença aguda e infecciosa transmitida através do mosquito Aedes Aegypt. 

Já considerado como uma questão de saúde pública, a dengue é mais comum em países de clima tropical, já que o mosquito se reproduz em água parada. 

A dengue tem quatro variações de vírus, porém todos eles possuem o mesmo sintoma e apresentam um quadro mais grave em casos de reincidência.

Além disso, a dengue pode ser classificada como “clássica” e “hemorrágica”.

  • Clássica: Pode apresentar uma melhora depois de 10 dias da doença, sendo que a febre dura em torno de seis dias e a recuperação geralmente não apresenta complicações;
  • Hemorrágica: Apresenta complicações após seis dias da doença, como sangramentos. Sendo o caso mais grave da doença pode resultar em morte e, por isso, precisa ser acompanhada por um médico.

Como o mosquito se desenvolve tão rápido? 

A eficiência do mosquito Aedes, que transmite principalmente a dengue, zika e chikingunya está ligada a forma como o mosquito se reproduz. 

Isso porque esse mosquito consegue colocar seus ovos em qualquer local que tenha água parada, desde um pneu até uma tampinha de garrafa. Sendo que os ovos podem ficar até um ano em lugares secos e se desenvolverem na menor presença de água.  

Além disso, o mosquito Aedes se adaptou ao espaço urbano ao lado do homem sendo extremamente fortes e desenvolvendo-se rapidamente. 

O desenvolvimento rápido desse mosquito faz com que a fêmea produza uma grande quantidade de ovos a cada vez e coloca em lugares diferentes, aumentando as chances de propagação do mosquito. 

Transmissão da dengue 

A transmissão do vírus da dengue pode ocorrer de três formas:

  • A picada do mosquito;
  • Transfusão de sangue;
  • Gestantes acometidas pelo vírus e passam para o feto;

Uma vez depois de infectado, o mosquito da dengue pode ficar contaminado por toda a sua vida, que tem em média 45 dias. Sendo que a maior dificuldade para acabar com a doença é a velocidade na qual o mosquito se reproduz, adaptação ao ambiente e por suportar tempos de seca e se transportarem de um lugar para outro. 

Sintomas da dengue

Os sintomas da dengue são divididos em dois grupos: a dengue hemorrágica e a dengue clássica, sendo que alguns sintomas são observados nas duas variações da doença. 

Sintomas dengue clássica:

  • Febre alta;
  • Dores de cabeça;
  • Perda de apetite;
  • Dor atrás dos olhos;
  • Cansaço e tontura;
  • Dores nas articulações;
  • Manchas e erupções na pele que se parecem com sarampo;
  • Sensação de moleza pelo corpo;

Sintomas dengue hemorrágica:

  • Dores abdominais;
  • Vômitos contínuos; 
  • A pela fica úmida, pálida e mais fria;
  • Sangramentos nasais e através das gengivas;
  • Manchas vermelhas pela pele;
  • Sonolência e confusão mental; 
  • Sede e sensação de boca seca;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Possível perda de consciência;

A dengue clássica leva em média três dias para começar a desenvolver os sintomas da doença, porém a dengue hemorrágica apresenta um quadro rápido que pode levar a óbito em 24 horas.

Outro fator de risco da dengue hemorrágica é o choque corporal devido a circulação sanguínea baixa, que pode levar à morte rapidamente.

Alguns dos sinais de que o choque pode acontecer são:

  • Mudanças de temperatura corporal;
  • Suor excessivo;
  • Pulso rápido e fraco;
  • Perda de consciência;

A morte por dengue geralmente é resultado de um quadro que apresenta sintomas mais leves no início e piora de forma rápida, onde a pessoa infectada não procura ajuda médica por acreditar que é algo mais simples. 

Além disso, nos casos de reincidência o paciente infectado acaba tendo um quadro mais grave e com uma piora rápida dos sintomas, que no início acreditam que passará em dois ou três dias. 

Tratamento para a dengue 

Como não existe ainda um tratamento pronto para a dengue, o tratamento acontece para melhorar os sintomas. 

Por isso, a recomendação é o repouso e a ingestão de muito líquido.

Em casos de dores fortes ou febras são receitados medicamentos antitérmicos. 

A principal forma de começar a tratar a dengue é procurando um médico logo que aparecerem os sintomas e parar o uso de qualquer medicamento. 

O remédio mais receitado e aceito pelas organizações de saúde é a dipirona, capaz de aliviar a febre e as dores das articulações. 

Casos de dengue hemorrágica podem precisa fazer tratamentos mais intensivos para a reposição de líquidos e geralmente requer internação. 

Prevenção a dengue 

A prevenção da dengue é através de uma vacina que não deixa que o vírus se manifeste no organismo.

Isso acontece porque a vacina diminui a força do vírus dentro do corpo e com isso, o sistema de proteção do organismo consegue atacar o invasor.

Essa vacina é aplicada três vezes com intervalos de seis meses e é de graça.

A própria organização da saúde também faz campanhas para ajudar com informações e testes da doença. 

Porém, a maior prevenção a dengue acontece quando se evita o acúmulo de água parada.

Fazendo com que o mosquito não consiga pôr novos ovos e diminuindo a propagação da doença. 

Por isso, fique sempre atento a qualquer objeto que esteja no quintal, não deixando garrafas abertas, ralos, calhas, vasos ou qualquer tipo de recipiente que possa acumular água. 

A dica, é colocar areia em vasos de plantas, desinfetante em ralos, desentupir calhas, cloro nas piscinas e manter a água limpa, telas em janelas, usar inseticidas e repelente. 

Além disso, é importante manter um cuidado extra sempre que for viajar para um local quente e úmido, fazendo uso de repelentes e inseticidas. 

Há alguma contraindicação para a vacina da dengue? 

A vacina da dengue não pode ser aplicada em gestantes ou em mulheres que estejam amamentando.Além disso, pacientes com imunidade baixa, quimioterápicos ou de radioterapia e que fazem tratamentos com corticoides também não podem ser vacinados e são orientados a procurar ajuda médica. 

Complicações do choque 

A síndrome do choque da dengue deve ser observada com cuidado e um médico deve ser procurado a qualquer sinal. 

Esse choque pode comprometer as funções cardíacas e respiratórias, causar convulsões e forte desidratação, hemorragias internas e sangramentos.

Quando não tratado, o choque pode causar a morte do paciente.

Existe maior risco para alguém? 

A dengue pode acometer qualquer indivíduo, desde criança até idosos.

Porém os casos mais graves acontecem na terceira idade, já que geralmente tem o organismo mais debilitado e os sintomas ficam mais agressivos. 

A dengue tem alguma relação com a zika e a chikungunya?

A ligação entre essas três doenças é o mosquito transmissor, que é o mesmo. Sendo que vários dos sintomas podem ser parecidos nos três casos. Porém, a chikungunya traz inchaços e inflamações nas articulações e a zika pode provocar sensibilidade à luz, coceiras e úlceras na mucosa. 

Conclusão

A dengue tem sido uma batalha que há muito o país tenta eliminar, porém ainda gera morte e problemas de saúde para uma grande parcela da população. 

Por isso, é importante que você fique atento a qualquer sintoma que possa surgir e procure um centro médico. 

A principal forma de acabar com a dengue é através do cuidado com a água parada, por isso olhe sempre a sua residência e faça a sua parte.

Além disso, se perceber algum local de risco, como terrenos baldios, latões de lixo e praças com decoração informe os órgãos responsáveis pelo controle da sua cidade. 

Artigos Relacionados

Mais populares